Movimento Água no Feijão define metas e projetos finais para 2021 

Ação solidária reuniu 60 voluntários liderados pela chef Telma Shiraishi. O grupo distribuiu mais de 63.000 refeições no ano passado, e mais 25.000 marmitas em 2021.

 

 

Um projeto inicialmente planejado para durar apenas um mês, que já completou mais de um ano de trabalho. O Movimento Água no Feijão (MANF), idealizado pela chef Telma Shiraishi, do restaurante Aizomê, segue arrecadando recursos para auxiliar entidades que distribuem refeições à população mais carente, graças ao apoio dos patrocinadores, apoiadores e pessoas físicas. De maio a dezembro de 2020, foram 63 mil refeições e em 2021, mais 25 mil refeições distribuídas. 

 

“Foi surpreendente como o projeto cresceu rápido e conquistou tanto engajamento em tão pouco tempo. Mesmo agora, nós nos surpreendemos com o alcance e a mobilização, pois o esperado seria perdermos impacto junto aos apoiadores ou a força do voluntariado que se desgasta com o passar do tempo”, comenta a chef.

 

 

Histórico do MANF
 

Em 2020, o MANF reuniu mais de 60 voluntários sob liderança da chef Telma Shiraishi, do restaurante Aizomê, todos unidos para viabilizar a produção e entrega das marmitas solidárias, mantendo o pagamento de cozinheiros, ajudantes, transportadores e pequenos fornecedores. 

 

“Começamos timidamente, pois não tínhamos ideia da extensão da pandemia e do quanto conseguiríamos em termos de sustentabilidade. Só sabíamos que tínhamos que agir - e rápido. E continuar fazendo o que fosse possível”, afirma Telma.

 

 

Definições para 2021 

 

Um dos principais trunfos do projeto é a equipe talentosa, inicialmente formada por jovens representantes das entidades realizadoras (JCI Brasil-Japão, Abeuni, Comissão de Jovens Bunkyo, Aliança Cultural Brasil-Japão, Abjica, KIF Brazil, Asebex e Japan House São Paulo). 

Em 2021, sob a liderança da JCI Brasil-Japão, o Movimento Água no Feijão está atuando como articulador de competências, apoiando e distribuindo recursos para projetos de combate à fome, somando cada vez mais forças e multiplicando as frentes de atuação, ajudando onde for necessário com alimentos e capacidades. 

 

Agora sob a coordenação de Tatiana Satake, da JCI Brasil-Japão, o grupo vem com equipe renovada para apoiar as entidades parceiras: Quebrada Alimentada, do chef Rodrigo Oliveira do restaurante Mocotó e sua esposa Adriana Salay e o Mesa Solidária, do chef Viko Tagoda. Também serão beneficiadas as quatro entidades beneficentes da comunidade nikkei (Kibô-no-Iê, Kodomo-no-Sono, Ikoi-no-Sono e Enkyo). 

 

“A pandemia ainda não terminou, infelizmente. Gostaríamos de continuar ajudando o maior número de pessoas possível. Coordenar um projeto desses tem sido desafiador, mas recompensador", aponta Tatiana. 

O projeto será encerrado em outubro de 2021. “Foi incrível essa grande rede de solidariedade iniciada no auge do isolamento. Apesar do distanciamento e das dificuldades provocadas pela pandemia, nunca estivemos tão conectados pelo coração e por um propósito que nos leva além de nossas limitações e próprios desafios. Só posso agradecer muitíssimo a todos e tantos que nos acompanham nessa jornada incrível!”, finaliza a chef Telma. 

O Movimento Água no Feijão conta com o patrocínio Diamond da B3, patrocínio master da Mitsubishi Corporation do Brasil e o patrocínio da Fundação Kunito Miyasaka, Café Fazenda Aliança, Perfumaria Takeo e LW Design Group. 

 

 

Movimento Água no Feijão

www.aguanofeijao.org.br

Instagram e facebook: @aguanofeijaobr

E-mail: contato@aguanofeijao.org.br